Dez dos maiores mapas que mudaram o mundo

Do mapa Be On Guard! da URSS em 1921 ao Google Earth, uma nova exposição na Biblioteca Britânica (NT: a reportagem é 08/05/2010) de apresenta os extraordinários documentos que transformaram para sempre a forma como vemos o globo


Por Peter Barber, Chefe da Coleção de Mapas da Biblioteca Britânica



1. Be On Guard! 1921


A jovem Rússia foi ameaçada com invasão, fome e agitação social. Para combater isso, designers brilhantes como Dimitri Moor foram contratados para criar uma propaganda pró-bolchevique.


Usando um mapa da Rússia europeia e de seus vizinhos, a imagem de Moor de uma heroica guarda bolchevique derrotando os invasores “brancos” invasores ajudou a definir a União Soviética no imaginário popular russo.




2. Mapa Mundi de Henricus Martellus, cerca de 1490


Diz-se que Colombo usou este mapa ou um semelhante a ele para persuadir Fernando de Aragão e Isabel de Castela a apoiá-lo no início da década de 1490.


O mapa foi feito por um cartógrafo alemão que viveu em Florença e reflete as mais recentes teorias sobre a forma do mundo e as formas mais precisas de retratá-lo em uma superfície plana.


Ele parecia provar que, como argumentou Colombo, não havia uma grande distância por mar entre a Europa e a China.


O mapa é também o primeiro a registrar o contorno do Cabo da Boa Esperança na África do Sul pelos portugueses em 1488.


Isso provou que não havia uma ligação terrestre com a Ásia no sul - e que os europeus poderiam alcançar as riquezas da Índias Orientais por mar sem ter que passar por terras de propriedades muçulmanas.


O mapa-múndi de Henricus Martellus foi o primeiro a registrar o contorno do Cabo da Boa Esperança na África do Sul pelos portugueses em 1488
O mapa-múndi de Henricus Martellus foi o primeiro a registrar o contorno do Cabo da Boa Esperança na África do Sul pelos portugueses em 1488


3. Globo Chinês, 1623


Feito para o imperador chinês, este é o mais antigo globo terrestre chinês conhecido e uma fusão das culturas oriental e ocidental.


Acredita-se que seus criadores tenham sido os missionários jesuítas Manuel Dias (1574-1659), que introduziu o telescópio na China, e Nicolo Longobardi (1565-1655), superior geral da missão chinesa.


Ambos eram respeitados pesquisadores, e a representação do globo das costas da África e da Europa teria contrastado com os mapas tradicionais chineses.


Estes exageraram o tamanho da China e a colocaram no meio de um mundo que de outra forma consistia principalmente de pequenas ilhas costeiras.


Em seu tratamento de eclipses e meridianos e nas suas informações sobre declinação magnética, no entanto, o globo baseia-se em ideias que foram desenvolvidas na China muito antes do que no Ocidente.


O Globo Chinês que foi feito para o Imperador Chinês em 1623
O Globo Chinês que foi feito para o Imperador Chinês em 1623


4. Mapa Mundi de Waldseemuller, 1507


A ‘América’ é nomeada e concebida como um continente separado pela primeira vez neste mapa, reunido por um grupo de especialistas em Saint-Dié, no Ducado de Lorena.


O mapa em si foi criado por um hábil cartógrafo, Martin Waldseemüller, e foi acompanhado por um folheto explicativo de Matthias Rignmann. Impressionado com os escritos do navegador florentino Américo Vespúcio, Ringmann sugeriu que a América não fazia parte da Ásia, como pensava Colombo, mas era um continente por direito próprio.


Então ela deveria, tal como os outros continentes, ter um nome feminino - daí América, depois do primeiro nome de Vespúcio. Talvez para enfatizar a existência independente da América, o mapa mostra o que agora sabermos ser o Pacífico banhando a costa oeste da América do Sul, embora sua existência só tenha sido confirmada anos depois.


O mapa-múndi de Waldssemuller deu o nome e imaginou a América como um continente separado pela primeira vez
O mapa-múndi de Waldssemuller deu o nome e imaginou a América como um continente separado pela primeira vez


5. Google Earth, cerca de 2005


O Google Earth apresenta um mundo no qual a área de maior preocupação para você (neste caso, Avebury, em Wiltshire, Inglaterra) pode estar no centro e que - com o conteúdo mapeado sobreposto - pode conter o que você achar importante.


Quase pela primeira vez, a capacidade de criar um mapa preciso foi colocada nas mãos de todos e isso transformou a maneira como vemos o mundo. Mas isso tem um preço.


Existem poucos, se houver, padrões acordados sobre o que deve ser incluído, e as regiões menos populosas e ‘menos importantes’ são ignoradas.


A capacidade de criar um mapa preciso foi colocada nas mãos de todos com o Google Earth.
A capacidade de criar um mapa preciso foi colocada nas mãos de todos com o Google Earth.


6. Mapa descritivo da pobreza de Londres, 1889


O empresário Charles Booth estava cético sobre uma alegação em 1885 de que um quarto dos londrinos viviam em extrema pobreza, então ele contratou pessoas para investigar isso.


Elas descobriram que o número verdadeiro era de 30%. As descobertas foram inseridas em um “Mapa Mestre’ usando sete categorias de cores, de preto para ‘classe mais baixa, quase-criminosa’ a dourado para os ricos.


As autoridades ficaram aterrorizadas e as primeiras casas do conselho foram construídas logo em seguida.


Este mapa de Londres mostrou que 30 por cento das pessoas viviam em pobreza extrema
Este mapa de Londres mostrou que 30 por cento das pessoas viviam em pobreza extrema


7. Mapa da ‘Linha Vermelha’ da América do Norte, 1782-3


Este mapa foi usado por diplomatas britânicos que negociavam o fim da Guerra da Independência Americana em Paris. Richard Oswald, secretário da delegação, anotou o mapa com linhas coloridas para mostrar onde se pensava que os tratados anteriores tinham estabelecido a fronteira EUA/Canadá.


No caso, ao traçar a fronteira norte, os americanos pediram menos do que esperado e, no século seguinte, tentaram renegociar isso.


Para evitar que vissem esse mapa embaraçoso, ele foi removido do Museu Britânico, onde estava desde a década de 1820, e colocado no Ministério das Relações Exteriores.


O mapa da ‘Linha Vermelha’ da América do Norte foi usado por diplomatas britânicos que negociavam o fim da Guerra da Independência americana em Paris
O mapa da ‘Linha Vermelha’ da América do Norte foi usado por diplomatas britânicos que negociavam o fim da Guerra da Independência americana em Paris


8. Tube Map de Londres, 1933


Desconsiderado como muito “revolucionário” quando foi apresentado pela primeira vez em 1931, o mapa do metrô de Harry Beck resolveu o problema de como representar de forma clara e elegante um entrelaçamento denso e complexo de linhas de metro.


A disposição das estações em intervalos semelhantes, independentemente de suas verdadeiras localizações, amplificam a área do centro de Londres, aumentando sua clareza, enquanto as linhas retas e os símbolos de cruzamento conferem uma simplicidade e ordem à rede. Um ícone cartográfico.


O mapa do metrô de Harry Beck resolveu o problema de como representar de forma clara e elegante um entrelaçamento denso e complexo de linhas de metrô.
O mapa do metrô de Harry Beck resolveu o problema de como representar de forma clara e elegante um entrelaçamento denso e complexo de linhas de metrô.


9. Mapa Mundi na Projeção de Peters, 1974


É impossível retratar a realidade do mundo esférico em um mapa plano. A conhecida projeção de ‘Mercator’ nos dá as formas certas das áreas terrestres (até certo ponto), mas ao custo de distorcer seus tamanhos em favor das terras mais ricas do norte.


O alemão Arno Peters procurou corrigir isso. Sua projeção acerta as proporções (aproximadamente) e tem o efeito e enfatizar o Terceiro Mundo. Dito isso, não é mais ‘verdadeira’ do que a projeção ‘colonialista’ que busca substituir.


O mapa do mundo na projeção de Peters tem as proporções (aproximadamente) certas, em 1974
O mapa do mundo na projeção de Peters tem as proporções (aproximadamente) certas, em 1974


10. Mapa Mundi de Evesham, cerca de 1400


Criado para o prior da Abadia de Evesham, este mapa marca o nascimento do patriotismo inglês moderno.


O topo é um mapa-múndi no sentido medieval tradicional, com o Jardim do Éden, a Torre de Babel abaixo e uma grande Jerusalém com várias torres.


Mas na base, uma enorme Inglaterra se estende da Escandinávia ao Mediterrâneo. A torre muito grande acima da costa francesa é Calais, capturada em 1347.


Estamos na era de Henrique V e Agincourt.


O mapa-múndi de Evesham marca o nascimento do patriotismo inglês moderno
O mapa-múndi de Evesham marca o nascimento do patriotismo inglês moderno

A exposição 'Magnificent Maps: Power, Propaganda and Art' ficou em exibição entre 30 de abril a 19 de setembro de 2010, na Biblioteca Britânica.

http://explore.bl.uk/primo_library/libweb/action/display.do;jsessionid=C4362B4B14EBF69FB2B0A0AA2A6DA453?tabs=moreTab&ct=display&f00n=search&doc=MBsie57949&indx=2

#curiosidadescartograficas







Fonte: https://www.dailymail.co.uk/home/moslive/article-1272921/Ten-greatest-maps-changed-world.html


Publicado na página Curiosidades Cartográficas do Facebook em: https://www.facebook.com/curiosidadescartograficas/posts/1806918522835007


81 visualizações0 comentário